terça-feira, 10 de junho de 2014

Coisas passageiras.

Ja se sentiram sozinhos? Bom, acho que uma boa parte da população ja se sentiu.
Desde crianca busquei me confortar em Deus, desde alguns conflitos na escola, a perda do meu pai aos 11 anos de idade, entre outros momentos. Me lembro que eu sentava no sofa e ficava conversando com Deus, mesmo nao o vendo, porem eu tinha certeza que ele se fazia presente. Sempre tive muita fé em Deus, e sempre terei.
Hoje estava me lembrando de uma época em que me afastei de Deus . Estava longe de todos, e os convites para sair pareciam legais, pensava: Ah, não terá problema.
E começou ali, começou uma fase da minha vida em que me encontrei totalmente afastada de Deus, esqueci completamente que havia sido ele que tinha me dado aquela oportunidade. Os convites para festas pareciam mais legais, divertidos, as amizades começaram a aparecer, um namorado. Claro, tudo parecia muito mais legal do que buscar a Deus. Tudo era mais saboroso, era um mundo novo para mim. Uma nova experiência.
As amizades pareciam ser eternas, eram tão companheiras, me ajudavam na maioria das coisas que eu precisava. Um namoro praticamente perfeito. Pode ter toda certeza que o inimigo nunca usara coisas bobas para te atrair. Ele trará um prato, um prato não, um banquete. E foi assim para mim. Lembro que um dia fui na igreja, e chorei bastante. Chorei. Eu sabia que havia me afastado dele, e ele me olhava, ele me esperava, me avisava. Ele me avisou por sonhos, e eu achava aquilo tudo uma besteira. Passei a desacreditar em sua palavra e promessas, e ate mesmo que ele existia. Hoje me sinto envergonhada por tal pensamento, como posso ter duvidado daquele que na angustia estava comigo? 
Tudo parecia perfeito, lindo. Primeiro emprego, pura alegria, agora poderia juntar uma grana, permanecer mais tempo naquele lugar, ao menos havia consultado se era realmente a vontade de Deus a minha permanencia ali. Ate quando tudo começou a desmoronar, começaram as brigas no namoro, o termino, a calunia, a amizade se esfriou, todos sumiram. Lembro que eu acordava para ir trabalhar e eu chorava, encostava na pia do banheiro e chorava, e sabe quem estava ali me consolando? Nao, não eram os tais amigos. Deus me consolava. Comecei a sentir raiva daquelas pessoas, um rancor começou a surgir, e a tristeza também. Outros problemas surgiram, e ali passei por muitas aflições, saia do trabalho e nao conseguia voltar para casa com medo da solidão, uma angustia, as festas ja nao me satisfaziam. Nada. As amizades passageiras. Posso dizer que me restou apenas uma pessoa, uma mulher que eu havia conhecido na casa que morei, uma pessoa maravilhosa, ela era única com quem eu conseguia desabafar, ela não me convidava para festas, por causa de sua religião. Mas me convidava para lanchar, ir aos parques, tirar fotos, e por um instante eu conseguia esquecer toda aflição. 
Uma manha pedi Deus uma resposta, no outro dia ele me deu. Ele nao queria que eu ficasse mais ali, nao era a vontade de Deus. E ali aprendi que Deus continua sendo Deus sem mim, mas eu nao sou nada sem ele. Eu havia sido culpada, eu teria que enfrentar as consequências dos atos. Algumas amizades são passageiras, elas somem quando encontram algo melhor, relacionamento sem a vontade de Deus acabam. Deus me deu grande livramentos. Tudo passa, tudo. Deus se tornou meu grande companheiro, e não tenho do que me envergonhar, não tenho que ter medo. Festas são passageiras, ao chegar em casa bate a solidão novamente. Eu sei que Deus permitiu o meu retorno, pois ele nao queria me perder para ilusões. Deus tirou todo o rancor que estava dentro de mim, não sinto mais raivas daquelas pessoas. Hoje agradeço a Deus por não ter me deixado ali, agradeço a Deus pela nova oportunidade. Agradeço por me amar tanto e ser meu verdadeiro companheiro. Meu pai. 


 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário